Seja bem vindo ao meu blog!!!!

Aqui expresso com liberdade meu pensamento crítico, opiniões e reflexões diante de coisas que para mim são importantes, como pessoa e como cidadão. Espero ter sempre algo a publicar aqui, além do que tenho para cantar nos CD´s, e que esse algo seja interessante para você também.
Obrigado por sua visita!

Sérgio Lopes
*****

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O CRISTÃO NA POLÍTICA



Há algum tempo eu era muito radical com relação a esse tema: de crente estar envolvido com política. Eu tinha uma visão limitada, pré-conceituada (e também preconceituosa) sobre política, achava que crente não tinha que se envolver, que era coisa de gente corrupta etc.
Mas  o fato de ter resolvido observar o cenário com mais atenção, e reler a história da democracia brasileira que rompeu a monarquia desajeitada que se estabeleceu aqui quando Portugal nos tomou dos índios, trazendo junto o legado arcaico e negativo da escravatura cujas conseqüências até hoje sofremos; relendo também a história dos hebreus e como eram perseguidos pelas nações vizinhas e foram defendidos por grandes reis e juízes, e usando mais imparcialidade na minha leitura sobre a atuação de grandes líderes levantados por Deus ou pela história dos povos, hoje tenho uma noção reconstruída de que existe SIM, espaço até para “evangélicos praticantes” (termo do último censo do IBGE, não tenho nada a ver com isso! rs) se fazerem presentes no cenário político, com força e relevância, decidindo os destinos desta nação.
                     PORÉM, existe um fator que é condicionante para que essa inclusão política dê certo: que sejam esses evangélicos de fato VOCACIONADOS para a vida pública, para o debate social de interesse geral, bons pensadores, articulados, avessos aos escândalos sociais, principalmente inclinados para a pacificação entre os interesses das pessoas e o interesse do Estado, sabendo defender com sabedoria os interesses de ambos, tarefa dificílima que raramente encontra bons mediadores.
                De antemão, já vou avisando que não me candidataria nunca mais a qualquer cargo político, porque alguns podem pensar que estou me preparando para apresentar minha candidatura só porque estou tocando no assunto. Até já fiz isso uma vez e foi um desastre! Em reuniões de grande importância em que os partidos da cidade se sentariam para fechar acordos e que dependeriam de minha aprovação, eu deleguei o poder para outra pessoa e fui atender um compromisso de agenda, como cantor. 
                   Foi um desastre o que aconteceu naquela reunião! 
                 Pessoas que eram zombadores e inimigos do evangelho foram trazidas para conviverem comigo e dividirem comigo os palanques. Ocorre que eu não tinha o menor traquejo para lidar com situações assim. Não é esse meu chamado. Por aí eu já mostrava que não levava o menor jeito para debutar como agente político, que deve ser um especialista na arte de unir espíritos antagônicos! Fui um candidato bem honesto, porém incapaz de gerenciar os interesses dos partidos que se aliaram comigo. No fim de todo o meu esforço, parecia que tudo ia dar certo, mas perdi a eleição porque Deus me tirou daquela campanha às custas de um acidente de carro gravíssimo poucos dias antes da "festa" das urnas. Aprendi a lição, que sintetizada na linguagem popular pode ser explicada pela expressão popular que diz: “cada macaco no seu galho”.  Sou um cantor e compositor, e não um político. Não me meto mais no galho dos outros!
                Mas leitores, não se pode mais é tolerar que um país como o nosso, que tem tantos problemas de ordem social, de educação insuficiente, de saúde pública desorganizada e falida, de um poder judiciário abarrotado de ações que não consegue julgar no tempo da "razoável duração do processo", de causas trabalhistas e previdenciárias que levam anos para serem concluídas, e aí o beneficiário já está morto, e nós continuemos a  cometer o “crime” de eleger pessoas que não tem a menor vocação política para mexer com esses problemas, sem condição intelectual para criar as leis que vão nos reger, de apresentar medidas e soluções para diminuir tantos problemas internos que ainda temos em nossa quase-democracia. (Espero viver para saber o que significa essa tal democracia, que não sei que bicho é, pois dizer que o governo brasileiro é do povo é uma piada!).
                Bem, estou escrevendo sobre esse assunto porque me pediram! Uma amiga jornalista de Maceió, Fátima Chamariz, me solicitou e estou apenas atendendo o pedido dela, pois se dependesse de mim nem tocaria no assunto. Mas já que fui provocado, eis a minha humilde opinião, a de que os evangélicos DEVEM SIM militar na política, porém com homens e mulheres capacitados para a política, vocacionados, que saibam conter seus arroubos particulares de paixão ideológica e pensar com clareza e retidão o que fazer com o dinheiro público, que diga-se de passagem, está melhorando a passos largos, com as efetivas medidas dos governos federal e estaduais de intensificar a arrecadação por meio tanto de incentivos fiscais quanto de investimentos pesados em meios de repressão à sonegação.
                E vou mais longe: pelo conhecimento que DEVEM TER das leis de misericórdia e perdão, lições de caridade, fraternidade e fé extraídas da Bíblia, os evangélicos deveriam ser os maiores responsáveis pelas mudanças sociais PARA MELHOR, não apenas no Brasil mas em qualquer nação do mundo onde se posicionassem politicamente. Só para exemplificar, foram os homens tementes a Deus, tanto cristãos quanto judeus, que transformaram uma colônia inglesa no poderoso E.U.A. de hoje, nação mais poderosa do mundo, economicamente falando. 
                Enfim, pode ser que eu seja apenas uma formiga carregando uma folhinha, mas continuo, como todo mundo, achando o horário eleitoral divertido pelas figuras esquisitas e engraçadas que ali aparecem, mas não vou votar em ninguém somente porque me fez dar risada. Saber fazer o povo rir no horário eleitoral pode significar que essa mesma criatura vai nos fazer chorar quando se sentar numa cadeira do Congresso Nacional, para legislar sobre assuntos que desconhece e que vão afetar nossos pais e nossos filhos, como aposentadoria, leis trabalhistas, políticas educacionais, tributação, leis penais etc, recebendo um enorme poder para o qual não está preparado, e aí apresentar projetos de lei ineficazes ou simplesmente assinar, como marionetes, projetos anti-democráticos de “raposas” que lhes persuadem ou compram facilmente seu voto de plenário para aprovar leis injustas e muitas vezes mercenárias.
                Gostaria de ver sim, muitos, muitos e muitos evangélicos no Congresso, nas Assembleias dos Estados e nas Câmaras Municipais, que nas campanhas saibam dizer para nós o que de fato vão lutar para fazer ali, e que sejam VOCACIONADOS para a política, líderes misericordiosos e de boa fama, sem apego às vaidades, à riqueza e à ostentação. O problema é que a maioria das pessoas que tem esses atributos, não se candidata! 
                  Haja esperança!

                  Sergio Lopes

(86562)

6 comentários:

Inezteves disse...

Boa noite querido poeta!

Há que se ter paciência!" me escreveu um já falecido amigo, me alentando em meu desespero, diante da situação caótica da educação.Lendo agora sua crônica que deveria ser o "dever de casa de todo candidato", independente de religião, absorvo por ora o fecho imperativo entre tantas verdades:"Haja esperança!"
“Quero trazer a memória o que me pode dar esperança”. Lm3.21

Rafael disse...

Como muitos evangélicos, duvido que uma bancada evangélica de maior número faria a diferença.

O congresso ou qualquer casa gestora compra todos ou manda matar. Essa é a verdade. Quem não entrar no esquema, prefere sobreviver, mesmo que seja como marionete. O homem honesto sempre é o que tem tudo a perder. Ou pensamos que Renan Calheiros tem vergonha frente sua família por todo mal que causou ? É como entrar em um prostíbulo e depois que sair de lá, dizer que só foi tomar um copo de água.

Os EUA é o melhor exemplo do que evangélicos honestos podem fazer com a bênção de Deus.

Mas como sempre a origem é o que conta. O hebreu teve sua origem nos heróis da fé. Os americanos começaram do zero. Todos com o intento de multiplicar e produzir na nova terra.prometida.

A nós em nossa terra, fomos fadados a receber a escória de Portugal e viver desde a origem com o mal no poder, uma igreja comprada e um povo escravo, como você mesmo disse.

Prefiro nosso povo fora disso tudo. Sue não seja pelo meu voto que um homem evangelico com bons propósitos seja corrompido e perca o direito de salvação.

Saudações, ósculo e amplexo.

Inezteves disse...

Não lembro sinceramente,
como estava a situação
no campo político no dia
em que você postou essa crônica.
Hoje e sempre ela é bem propícia
a reflexões sobre a atuação
de cristãos na política.
Na visão distorcida de alguns parlamentares, ser cristão
é ser inelegível a qualquer
cargo político!
Precisamos rogar que os
cristãos vocacionados
aumentem!
"O problema é que a maioria das pessoas que tem esses
atributos, não se candidata!
Haja esperança!"

martinha vieira disse...

Uma grande dificuldade também é que é necessário ter a consciência de que a IGREJA sempre será perseguida, por isso não basta carregar o nome de evangélico e ter a vocação que você mencionou. É preciso estar preparado como Paulo ensinou aos Efésios (Cap. 6), munido de toda a armadura de Deus, para jamais correr o risco de se corromper. Talvez seja uma das mais difíceis maneiras de ser "luz e sal" como Jesus ensinou.

FATINHA disse...

Sempre admirei o poeta Sérgio Lopes com seus louvores que sempre me tocavam a alma...agora,admiro o ser humano por suas postagens tão verdadeiras e coerentes,me identificando com muitas delas....Continue assim,homem de Deus!

altar f. genesio genesio disse...

Um grande abraço irmão Sergio Lopes, Deus tem falado muito comigo quando ouço sua música discordo um pouco vom relação ao assunto, o nosso Deus e Soberano Único Unipotente Uniciente e q Jamais Perdeu uma batalha e não pode Sofrer o Mal. No entanto não precisa colocar homens na Política para q sua seje realizada ninguém q entra naquela lama e sai limpo, , todos se sujam. Acaso ha aliança entre Deus e o Diabo? Jesus não disse q esse mundo jas no maligno? Por um acaso é o mundo é fizico ou o sistema que o conduz (ou governa) há por um acaso algo novo debaixo do sol(ou céu) não foi esse mesmo sistema q crucificou a Pedro de cabeça para baixo e arrastou a Estêvão o deixando aos pés de saulo? Luz e trevas jamais! Política e Deus! Nunca! Estamos em pleno final da era da igreja e eles ainda não acordaram! Pessoas q se dizem Crentes se envolvendo com esse mundo. O mundo não governa a igreja da mesma forma a igreja tem ser separada dele! BIBLIA SIM! CONTITUIÇÃO NÃO! DEUS ABENCOE A TODOS!
Www.ogritodameianoite.com.