Seja bem vindo ao meu blog!!!!

Aqui expresso com liberdade meu pensamento crítico, opiniões e reflexões diante de coisas que para mim são importantes, como pessoa e como cidadão. Espero ter sempre algo a publicar aqui, além do que tenho para cantar nos CD´s, e que esse algo seja interessante para você também.
Obrigado por sua visita!

Sérgio Lopes
*****

domingo, 22 de junho de 2008

O SAPO, EU E A NOITE CHUVOSA.





(Sergio Lopes)



Eu ia matar aquele sapo. Seu coaxo estava acabando comigo! A noite do sítio estava muito tranqüila para ser incomodada por aquele coaxar horrível! Ele estava lá fora da casa, perto da piscina, mas parecia que estava gritando dentro da minha cabeça! Eu estava sozinho naquela tão cobiçada paz noturna e não admitia que aquele silêncio quase sagrado fosse interrompido por um ruído tão sem graça e irritante como o que aquele sapo estava fazendo. Então eu me guarneci de uma fúria fulminante, um cabo de vassoura e lá fui eu à procura daquele sapo miserável para massacrá-lo. Lá fora estava escuro, e era uma noite fria e chuvosa. No momento em que eu saí para caçar o sapo até que não estava chovendo mas a grama fria e molhada me fazia sentir frio e mais raiva ainda daquele sapo. Mas o bicho era inteligente: quando me avistou calou-se e eu não consegui achá-lo. Procurei-o um pouco com a lanterna mas o sítio é enorme e eu não sabia de que ponto partia o coaxo do sapo cantador. Esperei um pouco quieto no escuro, mas ele não fez nenhum barulho e eu voltei para dentro de casa, deixando o sapo prá lá.

Mal entrei na casa e o sapo começou a coaxar de novo lá fora. Agora com mais volume ainda. Tentei ignorar a provocação dele mas não consegui. Parecia que estava pendurado na minha orelha de tão alto que estava o barulho. Crá! Crá! Crá! Crá! Não parava mais! Peguei de novo o cabo de vassoura e retornei enlouquecido para o gramado em volta da piscina. Mas assim que apareci na varanda o bicho parou de gritar de novo e eu novamente não sabia em que lado ele estava. Esperei de novo mas o bicho não cantou de novo. Eu me senti uma rã diante daquele sapo mau caráter, provocante e invasor, que estava estragando minha noite na quietude do sítio. Eu cheguei até a falar em voz alta: - Canta de novo sapo miserável! Canta que eu quero ver onde voce está! Mas o sapo ficou em silêncio. Se os sapos sabem rir, aquele estava rindo da minha cara. Passados uns dois ou três minutos de espera, entrei novamente e tudo se repetiu. Assim que fechei a porta da sala o sapo voltou a me provocar: Crá! Crá! Crá! Foi então que eu tive uma idéia brilhante. Disposto a resolver aquela pendenga de uma vez, apaguei todas as luzes da varanda e da casa, e esperei o sapo voltar a cantar para sair pela porta da cozinha e apanhá-lo por trás e de surpresa. Assim que apaguei as luzes, ele deu uma parada. Por um instante pensei que ele tinha percebido meu plano, mas seria esperar demais de um sapo! Logo ele voltou a coaxar como um louco como se estivesse me provocando para tentar encontrá-lo no escuro.

Enquanto ele coaxava atento para a porta por onde eu tinha saído nas duas vezes anteriores, eu saí pela porta dos fundos com todo cuidado e andando devagarzinho pelo gramado. O bicho gritava desesperado e eu logo localizei de onde vinha o barulho. Dei a volta na piscina para chegar até ele bem pelas costas. Ele gritava tanto que não percebeu que eu estava me aproximando por trás dele. Felizmente sapos não têm faro como os cachorros. Agora lá estava eu, a menos de um metro do sapo mau caráter e desafinado. Agora era só levantar o cabo de vassoura e... pimba! Mas enquanto o sapo gritava olhando para a varanda, sem saber que estava há alguns segundos de seu trágico fim, eu dei uma espiada rápida na noite em nossa volta. Era uma noite escura, fria, sem lua e sem graça. E molhada para piorar. Daquelas noites próprias para um bom cobertor em uma cama quentinha em um quarto aconchegante. Então eu lembrei que lá dentro da casa eu tinha um bom cobertor, uma cama quentinha e um quarto aconchegante. Lembrei-me dos dias de sol maravilhosos que passo no sítio, vendo as crianças brincando, correndo e pulando dentro da piscina e contagiando o sítio com sua alegria. Foram muitos dias assim, e em nenhum desses dias aquele sapo havia aparecido para incomodar. O mundo dele era outro. A melhor parte do dia sempre ficava reservada para mim, e para aquele sapo foram reservadas as noites frias e tristes, com chuva fina e grama molhada, e quando ninguém se interessava em ficar do lado de fora da casa. Minha raiva deu lugar a uma certa gratidão. Talvez algum respeito. Resolvi então não matar a criatura que estava se escabelando de gritar pensando que eu estava dentro da casa. Mas eu tinha que fazer alguma coisa para ele parar. Então quase instintivamente eu falei com o sapo:- Pára de gritar, sapo ruim! - gritei.

A cena seguinte foi hilariante. Surpreso com o som da minha voz atrás dele, o sapo quase enfartou. Por causa do susto, ele deu dois pulos fantásticos. O primeiro foi para dentro da piscina, e o segundo para fora dela. O primeiro pulo dele foi um reflexo, pois ele esperava fugir para onde tinha mais mobilidade: a água. Mas ele não considerou que em piscinas as águas contêm cloro. E se os olhos dele já são esbugalhados por natureza, ficaram mais ainda quando se assustou comigo. Quando aqueles olhos enormes bateram na água clorada, deve ter ardido muito, pois ele deu um outro pulo dessa vez para fora da água e continuou pulando até sumir pela noite adentro. Então eu me senti livre do sapo, que naquela noite não me incomodou mais e talvez até tenha me sentido um pouco piedoso por ter-lhe poupado a vida. Mas se na próxima noite de chuva no sítio, ele aparecer de novo, serei mais compreensivo com o coitado, e talvez até lhe ofereça um chocolate quentinho, antes de lhe desejar uma ótima noite fria, sem graça, sem lua e com grama molhada. Do jeito que ele gosta.




Sergio Lopes.




*****

24 comentários:

Anônimo disse...

SEREI A PRIMEIRA ENTAO, EU KERO DIZER Q SEPAREI ALGUMAS FRASES PQ ACHO, Q ALCANCE UM POETA PODE TER..BICHO INTELIGENTE, O SAPO MISERAVEL.,ENLOUKECIDO POR CAUSA DO SAPO, IDEIA BRILHANTE SUA, RESPEITO A UM SAPO,SAPO RUIM ,PARA DE GRITAR, CENA HILARIA, O SAPO QUASE INFARTOU, CHOCOLATE QUENTE, DO JEITO Q ELE GOSTA, AGORA ESSA EU NAO TO CONSEGUINDO PARAR DE RIR..(SE OS SAPOS SABEM RIR, AQUELE TAVA RINDO DA MINHA CARA)SABE POUCAS COISAS ME SURPREENDEM , MAS ESSA FOI TIPO, NADA VAI ME SURPREENDER MAIS..SE FALAR Q VC E OTIMO TO MENTINDO , VC E O CARA...BEIJOS, NINGUEM FICARIA TAO IRADO PO CAUSA DE UM SAPO RSRSRSUSXP

Nildo disse...

Comecei a ler pelo título da crônica e terminei para ver quem levaria a melhor (rsrsrsr). Sabe, para quem ouve e canta junto com quase todos os dias "para onde vão as aves" nunk imaginei que um dia um sapo quase tenha lhe estragado uma noite de sono.
Já tive uma experiência dessas com um grilo que invadiu a minha casa e por mais de uma hora não me deixou dormir, e como vc, tbm usei uma cabo de vassoura mas me convenci que o intruso só deixou a casa pq 'percebeu' q stava me enlouqcendo.
Quero dizer q assim como em suas canções, no episódio com o sapo vc me fez refletir sobre fatos simples mas que nos dão grandes lições: "A melhor parte do dia sempre ficava reservada para mim, e para aquele sapo foram reservadas as noites frias e tristes, com chuva fina e grama molhada, e quando ninguém se interessava em ficar do lado de fora da casa"....

Apenas Servo disse...

O legal de tudo que o sapo está la até hoje,ele agora faz parte da história do sítio.

danny disse...

Já imaginei que fosse algo engraçado apenas com o título. Sérgio, ri muito com essa história, além de ficar altamente admirada com sua capacidade de nos relatar esse acontecido, tão desagradável (não para o sapo), de uma forma tão poética! Tudo o que você escreve nos faz parar pra pensar um pouco, pois sempre tem algum ensinamento. O que você escreve nunca é em vão. Até o sapo nos trouxe uma reflexão... Deus te abençoe, vaso!

Prof. Alexandre Melo disse...

GOSTEI MUITO, PRINCIPALMENTE DA MORAL DA HISTÓRIA: TODOS TEMOS O DIREITO DE SERMOS FELIZES, SEJA NO CAMPO, NUM DIA DE SOL A BEIRA DA PISCINA; OU NA NOITE CHUVOSA E FRIA COACHANDO KKK
ABRAÇOS!

V�nia Muguet disse...

Amado Poeta! J� havia lido este texto em seu livro e gostei muito, ele � muito legal!
Aproveito para lhe dizer que seu livro todo � muito bom e que eu fiz muito bem em adquir�-lo.
Desejo que seja um sucesso de vendas.Parab�ns por seu talento!
Um grande abra�o!
Com o carinho de V�nia Muguet
PIB de Paci�ncia vania_muguet@ig.com.br

Davi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
queila melo disse...

Sérgio, que Deus continue te abençoando e realizando o desejo do teu coração, segundo a sua vontade claro! Gosto muuuuiiiito do seu trabalho em exclusivo "Natureza humana e Sonhos"
Abraços, fica com Deus!!!!!!!!

Davi disse...

Sérgio, primeiramente admiro muito o seu trabalho e como o nosso amigo disse: ouço e canto muito ´´Para onde vão as aves``!
Muito legal essa história, adorei! vc é um poeta de muito sucesso e um grande compositor!

Rogério-Jundiaí-SP disse...

Amigo Poeta, Deus o abençoe e que você continue a nos trazer essas preciosas Lições, não tenho dúvida, Deus te escolheu. um abraço irmão.

Sueli disse...

Amei...
Quando lia fiquei me vendo no meio da estória, observando os fatos acontecerem, claro que tenho medo de sapos, rsrsrs.
Parabéns!

Anônimo disse...

Amei essa história do Sapo, ri demais, pude até desenhar em minha mente você passando a noite atrás do bendito sapo, rsrs. Ri demais mesmo. Um maquiavélico sapo maquinando ardilosamente uma trama para deixa-lo louco e mais engraçado o Poeta quase tornou-se num louco homicida de sapos...rs. Foi muito bom ler isso. Um grande beijo em seu coração e em sua Alma
Elayne Canarim

Anônimo disse...

posso até ver em minha imaginação o Sapo rindo... rsrsrsrsr
show de bola...Elayne

thifani disse...

sssss

Carlos Paulyno disse...

Rsrsrs!

Bem, durante o momento em que estive
lendo esta crônica divertida, eu já sabia parte do final: que você não iria ter coragem de pôr fim na vida de nosso amigo sapo rsrs! e ainda iria tirar uma lição deste episódio de sua vida...
Amigo e irmão Sérgio, mais uma vez, parabéns!

Ahh... já postei o link de seu blog em meu blog. Ficaria muito honrado se você passasse por lá e desse uma conferidinha! E se possível, fizesse um comentário em um dos posts.

Que Deus continue te inspirando, e nos abençoando com seus talentos!

Paz de Cristo! Até breve!

Ariana disse...

Sérgio! Que o Senhor continue te abençoando e te dando inspiração vinda do céu,teus hinos falam muito ao meu coração e é através deles que encontro coragem e força pra lutar. Ah,não poderia esquecer de te contar uma coisa,meu irmão mais velho só canta hinos seus na igreja e eu tenho um sobrinho de 4 anos que cresceu vendo isso,desde então,ele só chama meu irmão de titio Sérgio Lopes,ele é louco por vc,vive de bota e chapéu,dizendo que é vc...rsrsrsrsrsrsrsrs Te amo em Cristo Jesus!!!

Fica na paz do Senhor!!!

revista juLBe disse...

essa eu conhecia, li no seu site antigo!!!
realmente,tadinho do Sapo,sérgio!
kkkkkkkkk

marcelo disse...

A IMAGINAÇÃO LEVA AGENTE E VER E VIVER A VIDA DE FORMA DIFERENTE AS VEZES ...

DEUS FALA CONOSCO PROFUBDAMENTE ATRAVES DE COISAS SIMPLES .. SO QUE SOMOS AS VEZES CABEÇA DURA ESPERANDO QUE COISAS APARENTEMENTE IMPORTANTES ACONTEÇA PRA INTENDERMOS O QUE DEUS QUER DE NÓS

PODEM TER CRITICAS POSITIVAS OU NEGATIVAS EM SEU BLOG SOBRE O TEXTO .... MAS É LINDO VER ESSES ESTORIA COM OS OLHOS DE DEUS E NÃO CRITICANDO AO LER .. MAS ANALIZANDO A SUA CABEÇA SERGIO, O SAPO, E A NOITE

EU TO PASMO ... MUITO INERESSANTE .. ABRAÇÃO AMO AMIGOS E PESSOAS HUMILDES

MARCELO OLIVEIRA " CORAL ANUNCIART " RJ

Cileide Cabral disse...

Muito hilário... Amei essa crônica pelo teor humorístico e pela sensibilidade de se perceber nas pequenas coisas da vida, grandes lições. Parabéns pela visão. É isso aí. Servir a Deus é estar aberto à Sua sabedoria, pois na Bíblia encontramos conselhos no livro de Provérbios, para aprendermos com as formigas!! Ver Pv 6:6 e 30:24,25. E por que não aprendermos algo com os sapos também? Abraços a todos... Cileide Cabral Natal/RN

Junior Flores disse...

Sergio gostei muito da crônica do sapo, e em alguns momentos pensei que você estava doido, andando pela casa atrás de um sapo. Deus te abençoe pela brilhante crônica. Um abraço... Junior Lagarto/SE

Simone disse...

oi

Simone disse...

Sérgio, vc tem sido benção nas mãos do Senhor! Nunca deixe de estar aos pés da Cruz. Teu ministério tem dado fruto tbm aqui em Ponta Grossa no Paraná.
Feliz por ter encontrado teu blog!!
Deus te abençoe!!
:D

Alessandro disse...

Chocolate quente pra o Sapo?

Essa foi ótima Sérgio! kkkkkkkk.

Bela História, Deus te abençôe!

Abraços,

Alessandro San.

alessandrosan@ymail.com
alessandrosannet@hotmail.com

camila disse...

bom, é ima história meio, assim, sem muita importância, bom,pelomenos para mim, no inicio, mas sabe que depois pude absorver algo bom, sabe, parece ser bem ridículo, mas gostei da sua atitude em poupar a vida da criatura, afinal também sente dor e tem vida assim cm nós e o que nos faz penssar que sua vida é menos importante do que a de um ser humano que é mal e perverso, que faz os outros sofrerem com suas más atitudes.
em fim, gostei da sua atitude!!!