Seja bem vindo ao meu blog!!!!

Aqui expresso com liberdade meu pensamento crítico, opiniões e reflexões diante de coisas que para mim são importantes, como pessoa e como cidadão. Espero ter sempre algo a publicar aqui, além do que tenho para cantar nos CD´s, e que esse algo seja interessante para você também.
Obrigado por sua visita!

Sérgio Lopes
*****

domingo, 25 de julho de 2010

OS LIVROS DEVEM SER EXTINTOS? POR QUÊ?


Na quinta-feira dia 22/julho, durante a viagem de volta dos EUA, enfrentando mais de 8 horas do vôo 800 da US Airways (Charlotte/Rio), meu filho Serginho e eu começamos a conversar sobre a importância dos livros nesse mundo moderno onde as coisas estão cada vez mais disponíveis "on line". Jornais, revistas, livros, documentários, artigos etc. tudo ao alcance de um mouse e uma conexão digital. Começamos um verdadeiro debate, ele achando que o livro se extinguirá com o tempo, e eu discordando, argumentando que o homem gosta da "posse", de "comprar" para ter sob seu poder o livro para ler na hora que quiser, sem depender da carga de uma bateria de laptop ou da energia elétrica - ou nobreak - para o funcinamento do PC. Ainda assim, o Serginho acha que o livro se extinguirá, e eu continuei defendendo que se reduzirá, mas não acabará totalmente. Resolvi então trazer a discussão para o ambiente do meu blog. Gostaria que você, querido leitor, também expusesse seu pensamento pessoal a respeito desse tema, dizendo se acha que o livro se extinguirá. Sendo sua resposta SIM ou NÃO, por favor tente explicar o porque de sua conclusão. Este é um debate bastante saudável e relevante, e estou ansioso para saber a opinião de cada um de voces! Abraços a todos!!!

Sergio Lopes...

42 comentários:

Will disse...

Eu acredito que NÃO, porque os livros estão na vida do ser humano à milênios! Os livros possuem seu valor histórico e cultural como forma de meio de comunicação e expressão, nãos será derrubado assim por conta da digitalização dos mesmos. Como você disse, as pessoas gosta de pega-lo, guarda-lo, tê-lo em sua posse para levar e ler em qualquer lugar ou hora. Eu pessoalmente detesto ler textos no PC, tudo que posso imprimo e conheço várias pessoas com o mesmo pensamento. Acredito que a leitura no PC seja mais prejudicial que da maneira comum através dos livros. Os livros digitais ajudam muito isso é verdade, mas não a nada como ler um bom livro deitado na cama, na varanda da casa, na praia, no parque, na rede, etc, lugars que mesmo com um Laptop seria bem ruim de ler um livro digital. Além de não concordar, sou totalmente contra o fim dos livros.

William Fernandes
Rio de Janeiro/RJ

CANTOR PAULO ROBERTO disse...

Querido poeta, minha resposta é NÃO, pois eu concordo com voce com relação ao sentimento de posse do ser humano. O homem gosta de ver sua estante cheia, bem arrumada ou não. O meu filho Bruno, que agora faz doutorada em Biologia, é um bom exemplo disso. Adora livros. Compra toda semana um pela net. Mas voce precisa ver a " desarrumação" na sua estante improsivada em seu quarto. E ele determina ( ai de quem desobedecer. Não é para mexer em nada)
Eu vejo essa questão tambem com relação aos cds de musica. As pessoas, pelo menos os irmãos evangélicos, gostam de ter posse da caixinha, e se possivel com a assinatura do cantor. Eu nem tanto, mas observe o Sergio Lopes. Aja mão e caneta.rsrsrs
Um grande abraço e diga ao Serginho que respeito a sua opinião e envio tambem um abraço fraterno.

mika disse...

Graça e Paz Poeta de Deus!
Gostei muito do tema abordado.Na minha opinião o livro nunca vai se extinguir,não enquanto houver pessoas como eu e vc entre tantas outras que sabe a importancia do poder das letras.
Sabe Sergio,o modismo as vezes prejudica a nossa sociedade e ninguem percebe;por exemplo:Eu ainda prefiro escrever carta aos meus amigos com o propio punho do que enviar a-mails.
Ainda sou do tipo que prefiro ler um bom livro do que ouvir um audiobook.
Ainda sou do tipo que prefiro comprar um cd,tendo em minhas mãos o encarte com letras,agradecimentos do artista,fotos e etc...do que comprar um pirata.
Pra resumir enquanto houver pessoas de Espirito Nobre o livro estará nas livrarias,nas bibliotecas e em nossas casas.
O livro é algo que vem de civilizações antigas,tem história e não pode ser esquecido como um K-7
Um abraço Serjão e Viva a Preservação dos Livros!

Josemberg Leal disse...

Bom, se o post não for excluído daqui a três dias, eu opinarei sim. rsrs.
Mas falando sério agora, acho que não serão extintos não, porque apesar dos avanços tecnológicos, e os governos mesmo sendo autoritários e antisociais, e muitas das vezes discriminatórios mesmo, saberão que boa parte da população mundial não terá condições de ter seus meios mais modernos de leitura devido a baixa das classes sociais, ou seja, nem todos nunca sairão da pobreza. Exemplo disso, criaram um mini-pc para ajudar as escolas que tenham alunos de baixa renda, até agora não vi funcionar esse projeto. Além do mais, a leitura do livro manual, te dar o gosto e a leve sensação de vc estar vivendo a história, e as vezes, deitado na varanda da casa em sua balanssante rede vc pode meditar com melhor concentração nas linhas lida, por exemplo, coisa que fica mais mecânica com algo informatizado.

Edylson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edylson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Huandra Siqueira disse...

Apesar de compreender as razões que justificam a sobrevivência dos livros eu, inevitavelmente, terei de manifestar a minha opinião a favor do Serginho.

A perspectiva da dialética do “Manifesto” de Marx afirma que “o Capitalismo destrói tudo hoje para reconstruir amanhã, sob formas cada vez mais lucrativas e organizadas”. Ele se autodestrói, se auto-regula... As crises econômicas são um exemplo claro disso: o Sistema as provoca, destruindo o capital de toda uma sociedade, para logo depois o reconstruir - só que com um volume exponencialmente maior. E isso também ocorre com os bens e produtos que nos são vendidos! Você já parou para pensar na quantidade de eletrodomésticos e objetos que em menos de duas décadas se tornaram obsoletos? E porque isso não acontecerá com os livros? Lendo os comentários deixados aqui no blog vi que foram citadas inúmeras qualidades dos livros convencionais e sei que são essas qualidades que legitimam a preferência dos leitores pelos “livros de papel”. Mas...vocês acham que o mercado não está ciente disso? Em minha opinião, ele não só está como sabe muito bem de todas as qualidades que os livros nos proporcionam. Ouso dizer também que enquanto debatemos este assunto, parte do mercado está procurando meios de criar novos mecanismos que proporcionem a substituição ou, sendo bem otimista, a reinvenção dos livros – caso dos “e-books”, por exemplo. Gente, é assim que a coisa funciona! A tecnologia e, consequentemente, a inovação tecnológica, são instrumentos vitais no processo de acumulação capitalista, pois é através desse processo que as firmas obtêm lucros exaustivos e dinamizam o Sistema como um todo. O capital precisa desse mecanismo para se expandir e os livros, mais cedo ou mais tarde, serão vítimas dele.
Isso tudo depende, é claro, da reação da demanda (ou seja, da população), pois o mercado não pode nos empurrar seus produtos “goela a baixo”. Mas veja bem, não podemos pensar como cidadãos da primeira década do século XXI. Precisamos analisar a situação a longo prazo, nos colocando no lugar das próximas gerações que serão, com certeza, ainda mais dependentes do mundo virtual – contribuindo ainda mais para o descarte de nossos tão estimados livros. Assim, concluo que teremos um cenário propicio tanto do lado da demanda quanto da oferta para a extinção, parcial e posteriormente total, dos livros tal como conhecemos hoje.

Huandra Siqueira – Estudante de Economia - UFES

Inezteves disse...

Sérgio e Serginho, ambos têm razão.
Creio que não serão EXTINTOS. Os vinis estão aí de volta
Pelo SIM pelo NÃO tenho só uma questão.
Os virtuais eu não posso carregar, mas são gratuitos.
Discos e livros?Tento guardar como objetos raros.
Infelizmente muitos se perderam...
Os cadernos (livros, por que não?) nunca, pelo menos nesse século, poderão ser substituídos por leptops.
Ps
Tô indo na editora comprar mais um.
Esse por favor, dedicado a minha neta ok?
1-“Enquanto houver lampião, pobre não terá medo de escuro!”
2-“Haja sempre um rico para ensinar a formar um ofício!”
3-“Só quem nunca não usou querosene desconhece os faróis de bambu.”

Sandra Lopes disse...

Não!!

Eu discordo dessa questão de que os livros com o passar do tempo,entrem em extinção.
Apesar de ter-mos a facilidade de encontrar tudo hoje em dia na internet,o ser humano em sí,almeja sempre o poder de possuir,de comprar.
É certo que a prática de ler um bom livro,não está apta á qualquer pessoa,
pois sabemos que com a tecnologia a maioria dos seres humanos sempre optam pelo recurso mais fácil e mais barato!.
E nós sabemos que a facilidade nem sempre traz gôzo em suas conquistas finais!...
Eu sempre gostei e gosto de ler um bom livro,porque eu acredito que aprendo muito mais estando com a informação nas minhas mãos.
mesmo que seja um pouco mais difícil a compreensão,porque não temos o google para facilitar as coisas,e mais caro o poder de posse.
No final da leitura é sempre mais gratificante,porque minha sabedoria cresceu e cresce muito mais a cada livro.

E dependendo de mim...eles nunca serão extintos!!

Gal disse...

Olá Sergio, sei que vc anda pelos EUA, mas não deve ter esquecido dessa cidadezinha aqui do interior da Bahia, Jequié, que vc teve ha muito tempo...Pois é sou daqui.
Gosto de suas músicas te considero um grande poeta, tenho vontade de ler seu livro.
Em relação a discussão do livro, concordo com vc.
Acho q o livro nunca se exinguirá, não só pelo fato do gosto de ter a posse, mas pelo fato de que a leitura de um livro, é prazeroso por vários motivos, e muitos deles perpassa o contato com a obra prima, o folhear, sendo as vezes necessário voltar uma página, marcar com um marca página, a página que você parou etc. Um verdadeiro leitor, sabe do que estou falando. E acredito que, enquanto tivermos verdadeiro leitores, o livro nunca acabará,
Abraços!
Sigo seu blog!
Faça uma visita no meu!

Simplesmente Anderson Bravo disse...

O livro tem seu charme,sua respctiva atenção,coisa que a internet não possui.
A sociedade virtua(msn,orkut,facebook,twitter,etc)reconhece o que um bom livro faz,nos faz viajar,emocioanar,e por ai vai.
Livro Eternemente

JANE disse...

Não. gosto de ler livros e memo tendo PC leio nele,mais jamais deixaria de comprar livro.

Jonas disse...

Do ponto de vista histórico o livro jamais se extinguirá, mas o mundo já mostrou que isso pode acontecer, os livros digitais já existem e ainda tocam música enquanto vc lê,fundo musical rsrsrs, é um diferencial. No mercado de trabalho é tudo automatizado, no meu, por exemplo, se não tiver internet é um caos, não usamos livros, nem cadernos pra anotar nada, fazemos downloads e uploads, e a tendência é essa. Acredito que nas escolas, dentro de alguns anos, os cadernos serão substituídos, não que eu queira, mas quando o aluno sair da escola, ele não vai se deparar com lápis e papel, ele terá um computador e um HD externo talvez. Mas acredito que haverão políticas públicas voltadas pra preservação do livro e tbm a preservação da forma mais tradicional de aprender e ensinar. Quando eu era criança eu ia pra biblioteca pesquisar, levava um tempão, mas era prazeroso, todos os colegas juntos, horas a fio conversando e trocando idéias sempre olho no olho, daí inventaram o google, acabaram com nossa imaginação ao ler os livros, a internet nos dá as opções, basta vc escolher qual vc quer, quem mais vai “perder tempo” fuçando livros, é triste mas é o que acontece, pra que dicionário se existe o wikipédia. Ainda existe o fato de distanciar as pessoas, me refiro ao calor humano ....mas o livro será algo sempre presente, nem que seja na memória, no museu rsrsrs nem que seja apenas comigo ... mas tomara que Jesus volte antes que isso aconteça. A PAZ DO SENHOR A TODOS!

ALFRAPOEMAS disse...

Não, meu caro poeta! Mil vezes não – com toda a força deste advérbio!
O livro nunca se extinguirá, a ele pertencem as LETRAS.
Verdade é que inúmeras facilidades obtemos através da cibernética, entretanto, são somente atalhos. O livro sim, este é o mecanismo precursor aonde foram impressas e expressas as primeiras idéias, as primeiras construções literárias, didáticas, religiosas e científicas de que o mundo necessitava e hoje tem conhecimento. O livro é real, é palpável, é romântico, é degustável e nunca deverá ser descartável. A ele foi confiado conduzir e divulgar o princípio de todas as engenharias que mais tarde viriam a prosperar... Ou estagnar... Mercê da interpretação do homem. Todavia, por mais que se adestre a navegar nesse fantasioso e infinito oceano virtual, um dia se terá uma calmaria, um dia poderá se perder nessas rotas tortuosas e diversificadas, e ter como alento derradeiro a alternativa de recorrer ao livro, o início do caminho, o princípio desse todo - onde se poderá por os pés em terra firme.
Continuo, amigo Sérgio, com os meus livros empoeirados e de páginas amareladas, tingidas pela tinta dos tantos anos de companheirismo. A eles, dedico iguais valores e ciúmes que só dediquei aos meus amores e aos meus amigos. Alguns deles ainda traduzem, quase ilegível, em marca de carimbo, a célebre e memorável frase que se tornara o slogan da saudosa Livraria Pedrosa daqui de Campina Grande. “FAÇA DO LIVRO O SEU MELHOR AMIGO”.
Desta forma, se “Amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito...”, meu coração é uma estante onde em um instante eu visito todas as maravilhas que adquiri para ele e para o meu espírito.

O livro foi referência de quem lhe prestou reverência. Um dia disse Castro Alves em “O livro e a América”:

Oh! Bendito o que semeia
Livros, livros à mão cheia...
E manda o povo pensar...
O livro caindo n’alma
É germe – que faz a palma,
É chuva – que faz o mar.

Calma, Poeta Sérgio e Serginho! O livro nunca vai nos abandonar... Desde que nós também saibamos cumprir com a nossa parte.

Um abraço fraterno.

Alfrânio.

Vanessa Raphaella disse...

NÃO- Os livros não serão extintos.

Percebo que a cada dias eles estão mais atraentes, transformando-se em verdadeiras jóias, a serem zeladas e conservadas por seus leitores.

Uma coisa que observo é que a modernidade não é a solução para os problemas do homem, e isso nem sempre é sinônimo de qualidade ou benfeitorias. Sabendo disso, não é rara “a busca incessante pelo passado”, pelas coisas e práticas antigas.

Quem na frente do seu computador por horas à fio, não sentiu um vazio, ou aquela sensação de “perda de tempo”, não se remeteu com nostalgia aos fatos passados, quando conversavam na varanda com amigos e parentes até altas horas, quando as crianças brincavam na rua, se sujavam no barro, ou mesmo, agora me referindo ao tema que está sendo tratado, não se deliciou nas páginas de um bom livro antes de dormir, em baixo de cobertores, sem nenhuma outra preocupação.

Com notebooks também se pode fazer isso, mas acho difícil em tal situação, o momento ser destinado somente à leitura. Duvido muito que o MSN não estaria lá no cantinho ligado, a tela do Orkut minimizada, e quando aquela notícia que você muito desejava saber na Folha UOL enfim fosse carregada, você não mudaria o foco e “fecharia as páginas” do seu livro virtual para lê-la.

Em outra vertente, segurança é algo que não ostentamos hoje em dia. É muito mais seguro eu ficar numa fila de banco ou em outro lugar, folheando o meu bom e “ultrapassado” livro, do que com um notebook que me custaria o salário de um mês de trabalho, correndo o risco de ser assaltada na próxima esquina.

Essa é minha opinião!

Grande beijo Sérgio!

JANE disse...

Sergio,gosto de ler livros e creio que mesmo com todo o progreso da net não afetará quem ama livro e jamais deixará de ter-los em suas mãos.´´E um envolvimento pessoal entre o leitor e o escritor..

JANE disse...

Sergio,gosto de ler livros e creio que mesmo com todo o progreso da net não afetará quem ama livro e jamais deixará de ter-los em suas mãos.´´E um envolvimento pessoal entre o leitor e o escritor..

Hadasa disse...

‘Los libros tienen los mismos enemigos que el hombre: el fuego, la humedad, los animales, el tiempo y su propio contenido.’
¡Ñ… definitivamente!
O q sim, vai acabar são os libros didáticos…
No ano passado fiz curso um q embora tivéssemos os livros, o q era material dos prof. era tudo no computador. Os deveres, tudo. Meu filho entra no q é ginásio ( ñ sei se se fala assim,rs) agora, e na escola quando fui pelos materiais, já me disseram q ñ terão libros. Sim, todos virtuais. Terão um PC subsidiado pelo governo em parceria com os pais. Mas o q é leitura mesmo ñ poderia acabar. Cada dia q pego o trem vejo dezenas de pessoas com seus livros a camino do seu dia. Sempre compro meus livros na mesma livraria (menos os cristão), e essa livraria ta sempre cheia. É uma livraria pequena e charmosa. O PC é muito bom, p leituras rápidas. Coisas, informações. Outro dia vi uma reportagem de uma livraria q imprime os livros na hora, uma loucura. Eu mesma tenho um montão de livros no computador. Quem disse q me animo? Rsrs... Ñ é por sentimento de posse ñ (espero q ñ...), mas adoro meus livros. Em carne e osso... quero dizer: em papel e tinta...
Bj. Meu poeta preferido...

Bruno Menezes disse...

Não!
Acredito que na relação entre o leitor e o livro existe um sentimento de cumplicidade que a tela do computador não é capaz de reproduzir. Alem do visual, o livro tem toque, tem cheiro (quem nunca se deliciou com o cheirinho de livro novo?!). Vou alem, e até me questiono se essa diminuição (inevitavel) será tão acentuada quanto imaginamos. Enquanto ainda encontrar nas prateleiras novas edições do "Pequeno Principe" sendo publicadas é sinal que em algum ponto essa mudança de geração não foi tão acentuada assim!
Por outro lado, partindo para um lado extremamente ecologico (desculpe,nao posso negar minha formação), fico muito feliz com esse aumento de livros digitalizados. Menos papel tá sendo produzido e mais arvores continuam em pé.

Por isso imprimam somente o indispensavel, hehehehehe!

Sergio, que Deus renove a cada dia teus dons e te abençoe sempre!

Abraços,

Bruno Menezes

Arquivista disse...

Tenho certeza de que o livro não deixará de existir. Quando lemos, queremos estar em uma posição de descanso, relaxados, em lugares agradaveis, com isso seria inconveniente ter de ficar transportando todo um equipamento para ter momentos de prazer e reclusão, até por que com leituras on line se fica conectado com o mundo e quando lemos, ficamos meio alienados, envolvidos com a leitura.

Sandra Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Will (...) disse...

pesquisas revelam que aumentou a venda de livro deste ano em relação ao ano passado... Com base nesses dados acredito que a população gosta muito de ter as informações à um clic, mas, nada se compara a escrita...

Ex: O Observador da Vida!!!

Não teria graça nenhuma lê-lo e não tê-lo...

Tchau, Sérgio!!! adoro todos os seus trabalhos.

Verônica Ortega disse...

Sergio ,

Não acredito na extinção, com o aumento do material on line o mercado tradicional será direcionado à obras de grandes editoras .
Aguardo com muita expectativa seu trabalho independente,estou orando por você.
Que Deus renove suas forças!!!!

Poeta Adorador disse...

Não se extinguirão. Livro são essenciais. Não há nada melhor que pegar um bom livro em suas mãos e lê-lo, tranquilamente, sentado numa boa poltrona ou deitado numa rede. Sei que nos encontramos na era digital e a maioria das coisas é feita pela internet. Mas, nada substitui um bom livro. Não um "e-book", mas livros de verdade. A internet tem facilitado e muito nossas vidas, mas acreditar que ela substituirá os livros acho demais. Ontem mesmo discutíamos isso na faculdade. Hoje temos tudo ao alcance das mãos. Com um celular em quase qualquer lugar do mundo pode-se acessar o Google e pesquisar sobre qualquer assunto que te interesse. Sei lá, as coisas evoluem, mas não consigo imaginar um mundo sem livros. Espero não estar aqui para ver se uma coisa dessas acontecer. Agora, o comentário da Vanessa Raphaella é muito pertinente. Gostei do que ela disse. Essa sensação de tempo perdido e nostalgia às vezes me invade. Fico lembrando de quando eu brincava na rua, todo sujo, roupa rasgada, joelho ralado. Era muito bom. E hoje meu filho não tem essas coisas. O mundo de hoje não mais nos proporciona esse tipo de coisa. Mas, voltando para o assunto, definitivamente os livros não acabarão. PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM DA CAMPANHA DIGA SIM AOS LIVROS.

ELIZANDRA ARANDA disse...

Creio que não se extinguirão.Pessoalmente, por mais que eu tenha toda liberdade para baixar livros e lê-los pelo computador, ainda sou do tempo que sentamos em nossa cama, encostamos um bom travesseiro, e mergulhamos naquelas letrinhas à nossa frente. Ainda sou do tempo (nem sou tão velha), que gostamos de marcar em nosso livro aquilo que mais nos chamou a atenção (claro que se o livro for meu...rs). Isso são coisas que jamais a era digital poderá me proporcionar.Muito válida sua pesquisa. Deus continue te abençoando ....sempre....com toda graça e unção necessárias. Fique na paz.

Huandra Siqueira disse...

rsrs...pelo visto fui a única a me pronunciar contra até agora!
=X

everton disse...

Olá, S.Lopes!!!! - rrss

Acredito que o livro impresso não acabará, mas teremos vários livros online para baixar com preços mais baratos. Agora, tenho quase certeza que os livros didático estão com seus dias contados...Este negócio de andar com muchila pesada já era - rrss

Abraços!!!
ADSUMUS!!!

Arnon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arnon disse...

Grande Sérgio,
tudo bem? Há um tempo que não tenho uma oportunidade de conversar com você... hehe... Agora descobri esse blog por um comentário seu no blog do Nicolau.

A minha opinião, embora contrária, pelo visto, à doutrina majoritária, é que os livros sim se extinguirão, ou chegarão muito próximos disso. Talvez continuem como artigos de coleção, excentricidades e os que já estão impressos certamente, assim como os vinis hoje, por exemplo.

Em 1977 Ken Olsen, fundador da Digital Equipment Corporation disse: "Não há razão para qualquer indivíduo ter um computador em casa.".
A maioria dos argumentos contra o fim dos livros que eu vi aqui, se baseia no sentimento de leitura das pessoas que os propõem. Esse tipo de sentimento é um fator cultural que se altera facilmente com a mudança de uma geração. Os meus netos provavelmente não terão a mesma sensação ao comprar um livro novo que eu, não terão essa relação com seu cheiro ou com o barulho do folhear de páginas. Mas talvez tenham ótimas sensações com a trilha sonora de um livro, como alguns já disseram ou até com coisas que nem conseguimos imaginar hoje.
Outro argumento usado contra o fim dos livros é que é muito ruim ler no computador. Isso é verdade, mas a tecnologia de e-paper já é capaz de solucionar isso. Basicamente o e-paper não emite luz própria o que faz com que não canse a vista e gaste muito menos energia. E temos que considerar que a tecnologia é capaz de evoluir mais do que podemos imaginar (quem imaginaria um ipod ou a própria internet há 60 anos atrás?).
Nessas condições, os benefícios do e-book são gigantescos, e vou citar alguns:
Mais ecológico (isso é bom para o mundo e bom para quem vende, já que hoje em dia, ser bom para o ambiente é uma ótima propaganda).
Diminui os custos de produção.
Permite o maior acesso à informação (podemos carregar muito mais livros e ter acesso a obras que provavelmente não teríamos em papel.).
Permite pesquisas dentro dos textos.
Portabilidade.
Diminuição dos problemas de coluna, principalmente para os estudantes de Direito que não precisarão mais carregar toneladas de livros.

Enfim... Não vejo motivos para os livros não virarem, daqui a 50 anos, os vinis de hoje.

Grande abraço!

serginho_jesus disse...

Não !!!
Não tem nada que se compare ao livro, a técnologia vem avançando cada vez mais e existem até livros virtuais, mais não se compara ao bom e velho livro que está sempere a disposição para você ler.

alesangela disse...

Não acredito que se extinguirá. Apesar da grande modernidade os livros ainda são indispensáveis. Os livros virtuais já existem, é verdade mas, apesar da internet nos ajudar e ser algo importante hoje em dia, considero uma verdadeira chatice ficar lendo muita coisa diante de uma tela de computador além de que acredito que faz mal para os olhos....rsrs
Continuo a favor dos livros, SEMPRE !!!

Eiko Marconi disse...

Bom essa hipótese dos livros serem substituídos por "conteúdos postados na internet" é algo bem improvável. Eu adoro ler e não curto muito ficar lendo conteúdos na internet.

No livro de Eclesiastes diz: "não há limite para fazer livros." (Ec 12.12) E eu concordo.

Vamos levar isso isso no sentido figurada Okay?? rs'

E Sérgio eu agradeço muito a Deus pela sua vida pois em momentos de dificuldade e de crise eu sempre procurar escutar alguma de suas canções e através delas o Espírito Santo ia renovando minhas esperanças.

Um grande abraço Eiko M.

edna disse...

Não troco por nada um bom livro na mão, mesmo velho, muito usado, ou com aquele cheirinho maravilhoso de novo(sempre cheiro livro novo, tiro do plástico e dou um cheirinho), não consigo ler no computador, creio que muita gente também não consegue, por essas e outras o livro não se extinguirá.

Rosilene disse...

Pensar na possibilidade de extinção dos livros isso me aflinge consideravelmente.Entretanto não acredito que essa possibilidade se concretize da fato apesar de ser um questionamento bastante relevante, pois o que se percebe atualmente no nosso país são jovens com um pobre vocabulário por consequência do uso contínuo e até vicioso de uma linguagem virtual imformalizando dessa forma a linguagem culta.É algo preoculpante pensar nessa possibilidade. Fico na torcida pra que isso não se concretize!♥♥

Rô Cruz disse...

O livro não se extinguirá jamais. O computador não pode substituí-lo. Como outros comentaram, com o cumptador não há a mesma facilidade de carregá-lo para qualquer lugar e ler na hora em que quiser... imagina a pessoa fazendo uma viagem longa, seja de ônibus, trem, avião...lendo uma estória fantástica, e quando está no principal capítulo do livro, puf! acaba a bateria do laptop e não tem onde carregar!!! Fala sério, ninguém merece...hehehehe...agora falando sério mesmo, eu não consigo imaginar minha vida sem livros...eu leio muito e meu passatempo preferido no horário de intervalo na empresa é garimpar livros usados em um sebo perto do trabalho. Há alguns anos encontrei uma Bíblia em alemão gótico que tinha 80 anos de idade...fiquei pensando por quantas mãos havia passado e quantas pessoas teriam sido salvas através dela. Dei de presente para um querido conferencista alemão que é uma bênção com seus estudos bíblicos. Isto faz a história que não se apaga e não se perde com um virus.

Marcos Antonio Ortega disse...

O avanço fantástico da tecnologia, aliado a questão ecológica, levam crer que revistas,jornais e livros desaparecerão.

Luis Vasquez disse...

Olá Sergio e demais amigos,
Sou fã de livros impressos e amo minha pequena biblioteca pessoal. Mas é fato que os livros sumirão do mercado. Não que de repente não existam mais obras impressas, mas com certeza passarão a ter valor muito elevado, tornando-se exclusividades de ricos. Não tem para onde correr, é só lembrarmos do vinil, é fato que a qualidade sonora dele é superior que a do CD. Mas o CD trouxe o benefício de ser digital (que gera muitos outros benefícios como, hoje podemos ter uma caixinha contendo discografias inteiras de vários músicos), mas o que vemos é que hoje uma mesma obra é vendida por R$150,00 em vinil e por R$30,00 em CD.

E com relação ao sentimento de posse digo que isso é passageiro, ou seja, você tem esse sentimento, eu também tenho, mas só tenho por que estou acostumado a ter o livro impresso. Porém meus filhos não terão esse sentimento, estarão acostumados com o virtual e, para eles, tudo aquele conjunto de pixels será plenamente "físico".

Quero estar vivo para ouvir eles comentarem sobre o absurdo de alguém ter que carregar 3kg de papel para ter uns 6 livros em mãos, enquanto eles terão 600 livros em algumas gramas.

Lala Alves disse...

A Paz! Sou Evangelista Levi Alves de Santa Rita PB.
É uma gerra interessante, essa do livro e a modernização dos Ebooks entre outros mais, que hoje até mesmo no celular dá pra ler. Sim que os livros tem lá o seu charme. É bonito ver alguém mergulhado num livro, "mastigando" suas páginas como se tivesse comendo uma guloseima. Mas, nada se compara a facilidade do on line, da busca rápida de informações e atualidades. Infelizmente o velho e bom livro saíra mesmo de moda.

djalma disse...

sergio qual a razão de vc sempre usar chapel de massa nos palcos ??

djalma disse...

vc tem preconceito de ser careca ??? eu lhe pergunto porque eu sou careca e tenho vergonha da minha aparencia de ser um calvo .... vejo que vc sempre anda de chapel e boné ......exicszk

Marcos Antonio Ortega disse...

Como assim preconceito de ser careca? O certo seria complexo de ser careca. Mas o Sergio Lopes parece não ter, pois já presenciei ele em uma igreja sem boné e chapéu. Acho que o estilo do chapéu fica muito bom, combina com sua personalidade. E além disso que nós temos que ver com isso ?
Abraços

Aline disse...

A paz do Senhor irmão Sérgio. Em primeiro lugar se os livros forem extintos terei que procurar outra profissão(rss). Acho que se isso vier a ocorrer o prazer pela leitura não será o mesmo! Por outro lado, acho que os livros em si não seram extintos, acredito que a biblia e livros com conteúdos biblicos não serão mais permitidos no período da grande tribulação(não vou me estender muito sobre esse assunto)
Por isso, vamos aproveitar o tempo que ainda resta para nos constituirmos da Palavra de Deus por meio da Bíblia e dos livros que nos levam a ela. Medite Romanos 10:8 e por falar nisso o Irmão já leu o livro que meu esposo e eu lhe presenteamos?(O Caráter do homem de Deus).
Pra finalizar gostaria de deixar a dica a todos que apreciam um bom livro, acessem o site da editora a qual represento:
www.editoraarvoredavida.org.br
A paz do Senhor a todos!